2034

Prefeitura Municipal de Planalto

Pular para o conteúdo Última atualização: 25 janeiro 2020 17:02:47

Profissionais da rede municipal de ensino participam da palestra “Livros: uma coleção de mundos”.

Fonte: ASCOM
31/07/2019 às 18h26

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


“Um país se faz com homens e livros”, é com esse pensamento de Monteiro Lobato que a Prefeitura de Planalto e a SMEC apoiados pelas empresas Alupar e Taesa tem vivido um sonho, sonho este que está prestes a ser concretizado nos próximos dias e irá possibilitar às crianças, jovens e adultos planaltenses viagens a lugares inimagináveis por meio da leitura e do conhecimento que será constante no projeto MUNDOTECA, primeira biblioteca lúdica que será montada no Município.

E, como parte das ações que o projeto Mundoteca já tem iniciado em Planalto, na manhã deste sábado, 27, professores, gestores e coordenadores da rede municipal de ensino participaram da palestra “Livros: uma coleção de mundos”, ministrada de maneira leve e encantadora pela professora e formadora de novos leitores, Marta Pinto Ferraz, na Unidade Escolar Municipal Conveniada Senador Antônio Carlos Magalhães.

A ação contou com a presença do Prefeito, Edilson Duarte, da Secretária de Educação, Adriana Brito, da Secretária de Administração, Jucélia Bonfim, da Coordenadora da Biblioteca, Joseilda Rodrigues e da equipe produtora e diretora deste projeto, Fabiana Mauge, Chimeni Maia e Laura Caldas.

“Biblioteca em Planalto é um sonho antigo que perdurou por várias gerações e hoje estamos bastante felizes e satisfeitos pelo espaço que está sendo montado para que nossos alunos possam frequentar e tornar hábito a prática da leitura e tenho certeza que a MUNDOTECA veio para nos ajudar a formar verdadeiros leitores no Município”, disse a Secretária de Educação.

O apoio, o envolvimento e a dedicação da gestão e da direção do projeto em tornar esse espaço realidade e bem melhor que o planejado, visando atender toda a comunidade tem sido notório. “Juntos vamos brigar com a tecnologia ou com qualquer outra coisa para que possamos formar crianças leitoras para um futuro melhor que o nosso, alcançando níveis de educação mais alto, desenvolvimento econômico, pois a gente que ver essa criançada voando na vida e a literatura é muito parceira para que a gente alcance isso, por isso ocupem esse espaço”, finalizou a diretora do projeto, Fabiana Mauge.